sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

Tetra Pak e Nordson firmam parceria para oferecer serviços de manutenção nos equipamentos de adesivos

A Tetra Pak anuncia uma parceria inédita com a Nordson, multinacional que fabrica equipamentos para aplicação de adesivos, selantes e revestimentos. Com o acordo, as empresas passarão a oferecer serviços personalizados a seus clientes brasileiros por meio de um novo modelo para manutenção nos equipamentos de aplicação de adesivos.

A partir dos novos processos adotados, haverá uma redução considerável no tempo de manutenção dos equipamentos, evitando, assim, paradas indesejadas durante a produção dos clientes. Além disto, a Tetra Pak e a Nordson também oferecem serviços de treinamento, limpeza e descarbonização, além de upgrades, como sistema de abastecimento automático dos adesivos.

De acordo com Edison Kubo, Diretor de Desenvolvimento de Negócios de Serviços Técnicos da Tetra Pak, o novo modelo de negócio foi desenvolvido exclusivamente para equipamentos do segmento de alimentos e bebidas, levando em consideração importantes diretrizes de segurança alimentar. “Com este modelo, os nossos clientes conseguem reduzir o tempo e os custos de manutenção, o que em consequência melhora a utilização dos seus ativos”, destaca o executivo.

Para Aloisio Grilo, Gerente de Desenvolvimento de Novos Negócios da Tetra Pak, a parceria faz com que todos os elos da cadeia sejam beneficiados. “O acordo entre a Nordson e a Tetra Pak gera mais valor aos nossos clientes. Estamos caminhando juntos, compartilhando objetivos, fortalecendo nossas operações e aumentando a capacidade tecnológica para as duas empresas”, explica.

De acordo com Debora Ramos, Gerente de Desenvolvimento de Negócios da Nordson do Brasil, a companhia acredita no sucesso da parceria, que se propôs a reformular toda a sua estrutura de manutenção, incluindo investimentos e alocação de mão-de-obra especializada. “Esta reestruturação tem como objetivo suportar o aumento da demanda, mantendo a qualidade, agilidade e a excelência sempre demonstrada pela Nordson nos mercados em que atua”, ressalta.


Os serviços estão disponíveis para os clientes da Tetra Pak Brasil. A expectativa da empresa é levá-lo para todos os países nos quais atua nas Américas, a partir de 2017.

Jornal entra na era da Realidade Virtual

Um novo olhar na forma de ler e ver suas matérias. Assim o Estadão apresenta na próxima semana duas grandes novidades em sua mais recente incursão tecnológica, que possibilitará ao leitor “entrar” nas reportagens. Nesta segunda-feira (5), o público pode ter em suas mãos o caderno interativo da série “O Brasil que o Brasil quer”, com vídeos, áudios, infográficos interativos e galeria de fotos. Já hoje, terça-feira (6), estará disponível o Estadão Realidade Virtual, que colocará o veículo na vanguarda dos veículos de comunicação. São dois aplicativos inovadores que ampliarão as fronteiras multimeios do jornal.

“Com o lançamento das duas novas iniciativas o Estadão mais uma vez inova. Ao mesmo tempo seguimos com nossa estratégia de usar o melhor que a tecnologia oferece para seguir fazendo o que realmente importa: contar histórias relevantes e interessantes para nossas audiências, onde e quando fizer sentido”, explica Marcelo Moraes, diretor de Marketing Publicitário do Estadão.

A primeira iniciativa do Estadão em realidade virtual (RV) foi em Bonito (MS), com um especial de aventura produzido pela blogueira Karina Oliani, que resultou em quatro atividades diferentes na companhia da apresentadora - trilha 4X4, rapel, mergulho e rafting, todos em RV. Segundo ela, a escolha por começar o trabalho em Bonito foi proposital. 

“Quando o Estadão veio com a proposta, me perguntei qual seria o lugar no mundo todo que mais gostaria de mostrar ao público. Não tive dúvidas na escolha e na sugestão que fiz ao jornal. Bonito é um dos lugares mais lindos do planeta e ideal para ser mostrado em uma realidade imersiva como essa”, afirma a aventureira, que tem no currículo viagens para mais de 90 países. Além de blogueira do Estadão, está no ar na TV paga no programa “Desafio Celebridades” da Discovery. “A ideia é levar ao leitor as aventuras mais espetaculares do Brasil e do mundo. Muita coisa boa vem por aí.”

A realização e produção da “viagem” é da Academia de Filmes, uma das pioneiras em vídeos RV360. Toda a ação tem oferecimento da Mitsubishi. Para Tadeu Jungle, sócio da produtora, a realidade virtual trouxe uma mudança na narrativa que não se via desde a invenção do cinema e o Estadão está na vanguarda dessa disrupção tecnológica na forma de narrar uma notícia.

“Em 2017, 60% do tráfego na internet será por meio de vídeos. Imagina um jornal produzindo matérias em realidade virtual e levando seu leitor para dentro da notícia, com mudança na narrativa, pois nos leva a um mergulho no local onde o fato está acontecendo. Essa não é uma visão muito distante de acontecer. Posso afirmar, sem exagero, que essa experiência do Estadão dá início a uma nova era para o jornalismo, com infinitas possibilidades”, defende Jungle. Para ele, o jornal mostra seu valor, pois aposta em uma tecnologia que está apenas começando no Brasil e que tem muito futuro e será acessível a todos, bastando ter óculos especiais e um smartphone.

Para uma experiência completa, o leitor deverá usar óculos de realidade virtual e ter um experimento completamente imersivo nessa viagem, produzidos pela Beenoculus. Parceria do Estadão na iniciativa, a empresa é inovadora e está na vanguarda do desenvolvimento de projeto 360/realidade virtual, tendo desenvolvido os primeiros óculos de realidade virtual produzidos no Brasil, com uma inovadora "metodologia de educação imersiva em primeira pessoa”. Há também alternativa para os que não tiverem os óculos, pois o material também será repercutido na TV Estadão, Instagram e Facebook do jornal.

Projeto interativo especial – A outra frente vem de um projeto especial, mas que pode ter inúmeras alternativas e oportunidades. O caderno interativo da série “O Brasil que o Brasil quer”, patrocinado pela Siemens, proporcionará nova forma de ler jornal que vai além do texto, com vídeos, áudios, infográficos interativos e galeria de fotos.

O leitor que tiver o aplicativo terá acesso a conteúdo diferenciado da série e que também conta com eventos e boletins na Rádio Estadão. Para ler, basta baixar o app, posicionar o smartphone em cima do jornal e começar a viagem pelo material exclusivo.


Os aplicativos Estadão Realidade Virtual e Caderno Interativo Siemens estarão disponíveis para os sistemas Android e IOS e podem ser baixados gratuitamente. Assinantes do Estadão terão direito a desconto na compra dos óculos de RV.

BASF estreita colaboração com a HP para o desenvolvimento de materiais de impressão 3D

A BASF está se unindo à HP para oferecer novos materiais de impressão 3D por meio da plataforma aberta Multi Jet Fusion, da HP. A plataforma aberta permite que os clientes selecionem um fornecedor de materiais, como a BASF, e entrem em contato direto para desenvolver materiais para aplicações específicas de produção em 3D. A BASF e a HP estão agora estreitando a colaboração para acelerar o ciclo de aprendizagem sobre os requisitos e especificações necessárias para desenvolver materiais para produção em larga escala. A BASF está empenhada em integrar as ideias geradas a partir desta troca, para acelerar o desenvolvimento de uma variedade de novos materiais para produtos de impressão 3D melhorados.

Para coordenar suas atividades de desenvolvimento do mercado de impressão em 3D e a estratégia de inovação, a BASF montou uma nova unidade de negócios na BASF New Business GmbH (BNB) e criou um Centro de Aplicação de Tecnologia para impressão 3D em Heidelberg, na Alemanha. Este centro dedica-se ao desenvolvimento de soluções personalizadas de materiais e aplicações para clientes finais.

Na indústria química, A BASF possui o portfólio amplo de materiais que podem ser desenvolvidos para impressão 3D. Entre eles está uma extensa gama de termoplásticos de engenharia, poliuretanos, sistemas de acrilato (foto-polímeros, por exemplo), fotoiniciadores, aditivos funcionais, estabilizantes, pigmentos e sistemas de metais. Esta gama de produtos serve como base para formulações prontas para uso para impressão 3D.

"A BASF traz um vasto conhecimento em materiais de produção em massa para a indústria de impressão 3D", explica Tim Weber, Diretor Global de Materiais 3D e Aplicações Avançadas da HP. "Ao fazer parcerias com empresas que têm uma longa história no desenvolvimento de novos materiais com clientes na indústria de manufatura, queremos alterar a impressão 3D, que é feita em séries de pequenos lotes, para a produção industrial em larga escala".

A BASF tem ampla experiência no desenvolvimento de plásticos. Seu portfólio inclui plásticos de engenharia de alto desempenho, como Ultramid® à base de poliamida, Ultradur® à base de poli (tereftalato de butileno), Ultrason® à base de polissulfonas e Ultraform® à base de poliacetal. Outro grupo importante de produtos são as soluções de poliuretano, que são usadas para melhorar o isolamento térmico de construções e a redução de peso e o design dos carros. Fabricantes de componentes para calçados, utensílios domésticos, bem como equipamentos esportivos usam as vantagens únicas dos poliuretanos. Este grupo de produtos é composto por elastômeros termoplásticos (Ex: Elastollan® -TPU) e elastômeros microcelulares. Com tais negócios existentes e suas sólidas capacidades, a BASF possui as características fundamentais relacionadas ao desenvolvimento de materiais específicos para aplicações industriais de impressão 3D.

"Em colaboração com a HP, combinamos o nosso entendimento das necessidades dos clientes e aplicações, juntamente com a expertise em materiais", disse Dietmar Geiser, responsável pela estratégia de impressão 3D da BASF nos Novos Negócios da BASF (BASF New Businesses). "A Plataforma Aberta da HP está direcionando o avanço de materiais para o uso industrial em grande escala da impressão 3D na produção e a BASF desempenhará um papel crucial no desenvolvimento desses materiais".

A tecnologia Multi Jet Fusion da HP é semelhante à impressão 2D, em que uma cabeça de impressão aplica os agentes no formato desejado sobre um pó de polímero. Os agentes e o pó são então expostos à energia para permitir a fusão. Devido à condutividade térmica específica dos agentes, o pó de polímero derrete apenas nas áreas onde a cabeça de impressão aplicou o agente de fusão, não derretendo onde o agente de detalhamento foi aplicado. Este processo difere da sinterização a laser, amplamente utilizada, no qual o pó é aplicado e depois derretido gradativamente com um laser em movimento. Comparada com outras tecnologias de impressão 3D, a tecnologia Multi Jet Fusion da HP está preparada para acelerar em até dez vezes a produção em grande escala, reduzindo os custos pela metade.


Em geral, a BASF desenvolve vários materiais e formulações prontas para uso, englobando todas as tecnologias de impressão 3D estabelecidas para fabricação de peças de plástico, cerâmica ou metais. Uma demonstração das capacidades de desenvolvimento de materiais da BASF é o Ultrasint PA6 X028, lançado recentemente, que é uma poliamida 6 em pó para sinterização que proporciona maior estabilidade mecânica e maior resistência térmica quando comparado aos componentes fabricados com outras poliamidas atualmente utilizadas na indústria 3D. "Estamos trabalhando para desenvolver materiais duráveis que possam ser usados em automóveis, eletroeletrônicos, artigos esportivos ou materiais para a indústria de usinagem", disse Geiser.

Em sua festa de confraternização, Editora Scortecci vai mostrar novidade

No dia 10 de dezembro, no Espaço Scortecci (Rua Deputado Lacerda Franco, 96 Pinheiros-SP), vai ser realizada a festa de confraternização da Scortecci. A premiada editora de livros de pequena tiragem vai aproveitar o momento para mostrar a nova logomarca com toda a família de logos da marca. Além disso, estão programados sorteios e distribuição de brindes. 

Durante a festa, haverá diversos lançamentos como o do livro Pingo de Letra, com selo infantil da Editora Scortecci, o livro Veredas Percorridas, do premiado escritor Caio Porfírio Carneiro, que será homenageado, além do lançamento de livros de diversos autores.

O evento vai registrar ainda o sucesso da parceria com a Canon há nove anos.

O grupo Scortecci possui um parque gráfico 100% digital utilizado na produção de livros e conta com os seguintes equipamentos da Canon:  imagePRESS 1135 e OCÉ6000 e OCÉ6000VPE. “É importante que as pessoas tenham interesse pela escrita. Com nossa parceria promovemos a literatura e difundimos a impressão de livros no Brasil”, afirma a supervisora de Marketing da Canon do Brasil, Grace Kelly. 


De acordo com João Scortecci, diretor-presidente do Grupo Editorial Scortecci, a parceria é benéfica para os dois lados e quem acaba ganhando são os autores e o leitor. “Sempre que realizamos ações de incentivo à cultura brasileira, como esta, todos saem felizes”, conta.

Com o slogan “Mais do que livros, imprimimos emoções!”, a Scortecci faz jus ao que prega. A editora se destaca por atuar apenas com pequenas tiragens, de até mil cópias. Isso por que, segundo Scortecci, dessa forma, é possível trabalhar com a emoção das pessoas. “Investimos nas pessoas, no talento, em livro e em curso”, finaliza.

Perfil da Editora 

A Scortecci nasceu em agosto de 1982, uma sexta-feira 13, e desde então edita, imprime e comercializa livros em pequenas tiragens. Desde o início conserva os mesmos objetivos e propósitos: publicar livros, organizar concursos literários e antologias, realizar recitais e eventos culturais, promover o conhecimento através de cursos e palestras, além de fomentar o mundo literário e cultural.

Já recebeu os prêmios literários: Jabuti (Câmara Brasileira do Livro), APCA (Associação Paulista de Críticos de Arte), FBN (Fundação Biblioteca Nacional), ABL (Academia Brasileira de Letras) e PEN Clube. Foi finalista do Prêmio Jabuti por mais seis vezes nas categorias: Poesia, Contos e Reportagem.


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Vernissage apresenta os vencedores do 6º Prêmio Ibema Gravura


O Prêmio Ibema Gravura destina-se aos estudantes de cursos superiores e de escolas de artes gráficas do Brasil e do exterior. “A edição de 2016 teve recorde de obras recebidas, foram 164 inscrições e 122 trabalhos enviados ao concurso”, revela a coordenadora do Prêmio, Fabiana Cerqueira Biriba.

As obras foram analisadas por um júri composto por renomados especialistas como a artista plástica e especialista em gravura Uiara Bartira, pelo designer e professor coordenador da ESPM Fabio Mestriner, artista e professora Rossana Guimarães, e pela artista e coordenadora do Museu da Gravura de Curitiba Juliana Leonor Kudlinski.

A vernissage da exposição com os trabalhos vencedores e entrega dos prêmios foi realizada no dia 24 de novembro no Museu da Gravura Cidade de Curitiba, localizado no Solar do Barão. As 20 obras selecionadas ficarão expostas no museu até 26 de fevereiro de 2017, de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 13h às 18h, e sábado e domingo, das 12h às 18h. A entrada do vernissage e para conferir a mostra é gratuita. Endereço: Rua Presidente Carlos Cavalcanti, 533, Solar do Barão – Centro.  





Agfa conquista três categorias do 26º Prêmio Fernando Pini

No dia 22 de novembro, em São Paulo, durante a 26º Prêmio Fernando Pini, a Agfa Graphics do Brasil levou para casa três categorias: Software de Gerenciamento de Cores; Chapas para Impressão; e Equipamentos para Pré-Impressão, Sistemas e CTPs.


"Mais uma vez a indústria gráfica nos presenteou com o Prêmio Pini. E, desta vez, em dose tripla. Procuramos sempre estar ao lado dos nossos clientes, os auxiliando em todas as suas demandas. E receber esta premiação nos dá um novo impulso para seguir oferecendo soluções de qualidade ao mercado brasileiro e um forte suporte pós-venda", disse Paulo Amaral, diretor comercial da Agfa Graphics no Brasil. 

Xerox lança a impressora jato de tinta Rialto 900

A Xerox lançará no Brasil, em dezembro, a impressora Rialto 900. O equipamento foi desenhado para provedores de impressão que produzem de 1,5 a 5 milhões de impressões por mês. De acordo com a Xerox, a Rialto 900 tem o menor tamanho do mercado

De acordo com a Xerox a nova impressora vem para tornar a tecnologia de jato de tinta uma realidade para mais empresas de serviços de impressão e romper barreiras como altos volumes de impressão. A Rialto 900 vem no tamanho 3,58 x 1,55 metros (incluindo a torre de impressão). 

"Estamos criando um novo segmento de mercado de jato de tinta com a Rialto 900 e há espaço para todos. A Rialto 900 muda o jogo no campo por meio da fusão dos mundos da folha cortada, jato de tinta e offset - uma convergência importante para os prestadores de serviços que procuram uma vantagem competitiva para a sobrevivência no mercado de impressão a longo prazo”, disse Paul Morgavi, diretor de operações da divisão de jato de tinta da Xerox e gerente geral da Impika


A Rialto 900 é o primeiro produto desenvolvido e lançado conjuntamente pela Xerox e Impika, produzida apenas dois anos após a aquisição. Além disso, o portfólio da Impika está totalmente integrado à família e marca da Xerox. A impressora Xerox Rialto 900 Inkjet está disponível a partir de Dezembro de 2016. Confira mais sobre o equipamento em www.xerox.com.